27 de mar de 2010

.



-

Rebeca nunca foi beijada,
Não sabe o que é ter aqueles lábios tão desejados Junto aos seus;
Nunca saiu por aí de mãos dadas,
Nunca nem encostou nos braços dele;
Ela nunca recebeu a tão sonhada ligação,
só passa ligações;
Nunca ouviu num sussurro o almeijadíssimo “Eu te amo”,
Ela não sabe o que é o amor; sabe o que é amar

Rebeca sente que a vida passa e que ela ficou no mesmo lugar,
O mundo da voltas e voltas e ela só sente o vento passar,
As pessoas contam suas histórias, descrevem seus encontros e desamores,
E Rebeca acha que são narrações cheias de exageros, enfeitadas com cores e
Sorrisos que, na verdade, nunca existiram;
Rebeca não tem história pra contar.

Rebeca não sai à noite, as únicas coisas que a fazem virar as madrugadas
são os livros, e os diários nunca terminados.
Ela não sabe o que é ter um álcool deslizando pela garganta,
O máximo que bebe é suco de laranja;
Não gosta de dançar em publico,
Mas o seu quarto é uma verdadeira pista de dança.

Rebeca sonha alto, bem alto que até as paredes escutam,
(Ela só tem uma amiga);
Faz planos, traça metas, mas quando sente que esta perto dos
Seus objetivos serem alcançados, a perna treme e o coração aperta
tanto, que sabe que nunca vai extravasar essa vontade que sufoca seu ser;

Rebeca tem medo de nunca tenha uma história pra contar,
Mas ela sabe que histórias não podem ser escritas se não houver um protagonista,
Rebeca tem plena certeza de que não passa de uma coadjuvante.

Um comentário:

  1. Que texto legal! Amei, muito massa! Me idenfiquei com algumas coisas ai! Muito lindo! Parabéns! Lindo o texto, se nao fosse um pouco triste! mais bem legal! Beijo gigante

    ResponderExcluir