18 de mai de 2010

Casulo




Meus olhos se assustam com essa metamorfose.
E essa mente dubia confunde mais, perturba mais, questiona mais.
Já não tenho medo do escuro.
Abri as correntes e meu coração saiu correndo, feito um desavisado,
perdi o controle. Sinto-me viva.
Mas, como uma sirene que alerta, meu cérebro avisa:" Tudo o que você planta, você vai colher".
Já não sou mais a mesma.
Outras letras querem compor o repertório da minha vida. Mas sei que preciso de muito mais que lindas canções,mais que novos ritmos. Tiro o fone do ouvido.
Não escuto minha voz, mas ela grita, ela chama, ela clama...
sinto o mundo cruel.
Minha alma revolucionária pegou o controle, ligou a TV e sentou no sofá. Perdi a vontade.
Mas ainda me resta a Fé; é ela que me mantém, ela me faz ainda acreditar.
Me faz Esperar?? Não mais...
Quero tirar o pé do freio, acelerar e não olhar pro lado, pra não correr o risco de ser tentada a desviar o caminho. Mas, para onde estou indo??Acho que perdi o mapa.
Não sou mais a mesma.
É uma mudança estranha, mas uma mudança real.
Metamorfose.


remanescentes de mim

Nenhum comentário:

Postar um comentário