5 de set de 2010

Silêncio comum

Há tempos que não deixo meus restos aqui.
Vou deixar um remanescente de alguns meses atrás,
só porque sinto que é importante não deixar esse meu espaço morrer
(mesmo que eu esteja falando só pra mim mesma)



O silencio é gritante,
As palavras fazem uma visita vazia.
Me sinto só.
O vento vem chamar minha atenção distraída,
Tentar me animar, mas só o cabelo se manifesta.
Viajo nas letras das páginas de um livro pra conversar com alguém,
Mas as histórias são longínquas, não fazem mais parte do que vivo.
O mundo é outro, as pessoas não. Continuam as mesmas.
Eu continuo aqui.


22/04/2010 RB



remanescentes

Nenhum comentário:

Postar um comentário